O Tribunal dos crimes do latifúndio foi proposto por uma comissão internacional de juízes para verificar os crimes que acontecem no campo e ficam impunes, um problema que é atual e que nunca foi resolvido.

 

A Pastoral da Terra promoveu esse encontro internacional sobre essa questão aqui em São Paulo durante a gestão da prefeita Luiza Erundina (1989-1993). Fui convidada a criar um acontecimento político-teatral da mesma maneira, com o mesmo espírito, que eu tinha criado o Tribunal Tiradentes.

 

Esse trabalho reforça a perspectiva antropológica e política que está manifesta no Pega-Teatro. Para mim, como encenadora, foi um grande desafio. Toquei o hino nacional com uma banda de músicos populares do centro de São Paulo. Peguei bonecos que faziam o papel dos proprietários nos camarins. Os camponeses que vieram do Brasil todo, alguns descalços, estavam morrendo de medo de pisar no tapete do Teatro Municipal.

 

O Tribunal dos crimes do latifúndio conta com poucos registros e pouca repercussão na mídia pois tratava um tema perigoso, e que está acontecendo até hoje.

 

© 2019, Joana Lopes.